Resenha: Eu sou o mensageiro - Markus Zusak

Oi pessoal, tudo bem com vocês? E as leituras? Estamos um pouco enroladas com as resenhas aqui no blog, mas prometo retomar o ritmo em breve! E hoje trouxe para vocês a resenha do livro "Eu sou o mensageiro" que eu li há algum tempo, mas ainda não fiz resenha! Vamos lá:


Venha conhecer Ed Kennedy. Dezenove anos. Um perdedor.

Seu emprego: taxista. Sua filiação: um pai morto pela birita e uma mãe amarga, ranzinza. Sua companhia constante: um cachorro fedorento e um punhado de amigos fracassados.

Sua missão: algo de muito importante, com o potencial de mudar algumas vidas. Por quê? Determinado por quem? Isso nem ele sabe.

Markus Zusak, autor do best-seller A Menina que Roubava Livros, nos fornece essas respostas bem aos poucos neste incomum romance de suspense, escrito antes do seu maior sucesso. O que se sabe é que Ed, um dia, teve a coragem de impedir um assalto a banco. E que, um pouco depois disso, começou a receber cartas anônimas. O conteúdo: invariavelmente, uma carta de baralho, um ou mais endereços e... só. Fazer o que nesses lugares? Procurar quem? Isso ele só saberá se for. Se tentar descobrir. E, com o misto de destemor e resignação dos mais clássicos anti-heróis, daqueles que sabem não ter mesmo nada a perder nesse mundo, é o que ele faz.

Ed conhecerá novas pessoas nessa jornada. Conhecerá melhor algumas pessoas nem tão novas assim. Mas, acima de tudo, a sua missão é de autoconhecimento. Ao final dela, ele entenderá melhor seu potencial no mundo e em que consiste ser um mensageiro.

Título: Eu sou o mensageiro
Editora: Intrínseca
Autor: MARKUS ZUSAK
ISBN: 9788598078298
Número de páginas: 320
Avaliação: ♥♥♥♥


Após ler "A menina que roubava livros" e ficar encantada com a história fiquei conhecendo esse outro livro do mesmo autor. Não poderia deixar de comprá-lo.


Um livro com uma lição de moral muito grande, recomendado para todos os gostos. Qualquer pessoa que ler esse livro terá algo acrescentado na sua vida. Uma leitura impactante e essencial.

Ed é um garoto de 19 anos, taxista, que levava uma vida pacata até que certo dia ele impede um assalto ao banco. A partir desse momento ele começa a receber cartas de baralho de alguém que ele desconhece. 

Em cada carta há inscrições por vezes sem sentido, mas a única maneira de descobrir o real significado delas é obedecê-las e ajudar quem está precisando de auxílio. A sua vida, antes insignificante, acaba sendo moldada aos poucos e percebemos esse amadurecimento da personagem ao longo da leitura.

Porteiro (cachorro e melhor amigo da personagem), Marv, Ritchie, Audrey e a mãe alcoólatra de Ed são personagens essenciais. Os amigos estão sempre dispostos a jogar um carteado e conversa fora. Assim como Ed, eles são considerados uns fracassados e levam uma vida simples na periferia da cidade.

Com um final surpreendente e uma lição de moral incrível aprendemos a dar mais valor à própria vida. Um livro super recomendado. A capa é linda e tem um título bem inusitado. A diagramação é ótima. O livro é divido em cinco partes (todos com uma carta de baralho na frente) e vários capítulos. Uma linguagem bem informal, típica de pessoas como as representadas na história. No decorrer do livro percebemos também a presença de vários palavrões. Em alguns momentos a leitura se torna um pouco monótona, mas logo em seguida retoma o ritmo. 

Um das passagens mais marcantes do livro foi esta:
‎"Às vezes as pessoas são bonitas.

Não pela aparência física.

Nem pelo que dizem.
Só pelo que são."

0 comentários:

Postar um comentário