Resenha: A arte da Invisibilidade - Allan Pitz

Título: A arte da invisibilidade
Autor: Allan Pitz
Editora: Dracaena
Número de Páginas: 132
Classificação NPL: 5/5 

A arte da invisibilidade visa condicionar o homem moderno ao intelectualismo de avanço real e lógico, natural, em acordo com sua época. E, ousadia das ousadias, visa trazer de volta o homem pensador, que vagaria pelas prisões hipnóticas sem se deter a nenhuma delas. Apenas isso.





Quando recebi esse livro não tinha nem mesmo noção do que se tratava. Comecei a leitura sem grandes expectativas e no final fui surpreendida tanto pelo tema como pela maneira leve e engraçada que o autor conduz sua narrativa.

A arte da invisibilidade nos mostra os relatos de Allan Pitz sobre a alienação a que estamos submetidos. Embora não percebamos, participamos de um jogo em que somos apenas mais alguns números essenciais à sua manutenção.  
Essas pessoas trabalham diretamente para a base sustentável da unidade, fazendo o giro de bem-viver das outras unidades superiores. (...) São meros bonecos de movimentação, peões vivos de um tabuleiro programável para múltiplos fins. (pag. 54)
A abordagem dos temas é feita de maneira divertida e que prende o leitor! Capaz de nos introduzir na trama e nos fazer pensar e questionar todo o sistema, toda a sociedade.
Vocês (eu, inclusive) raramente criam um pensamento ou teoria: vocês se baseiam em teorias prontas, ou se inspiram em alguém. Você não escrevem o que criaram, sozinhos - isso é raro; vocês expurgam os seus textos com a ajuda de seus heróis, os incentivadores, escritores que o fizeram babar em seus livros incríveis. Seguimos um fluxo de ideias, de pensamentos, de visões, de criações; e isso é mesmo alucinante! (pag. 43)
Em determinados momentos percebemos que Allan trava uma batalha com a própria mente, questionando-se e nos mostrando a importância de se tornar invisível, ir contra a maré, saber quais são seus verdadeiros objetivos, não aqueles que os outros querem impor mesmo contra nossa vontade...
Os invisíveis são os condenados que ainda conseguem enxergar longe da grade ilusória, enxergam além dessa imensa matriz social programada, além do que exigem da nossa visão cansada, embaçada; além do que tentam nos anexar, a ferro em brasa, ao centro operacional do entendimento confuso. (pag. 54)
Pitz questiona nossa originalidade, desejos, sonhos. Estamos mesmo vivendo aquilo que queremos ou apenas o que o sistema quer que vivamos, que vejamos? 

Além da arte da invisibilidade, Allan fala também das dificuldades de ser um escritor (invisível) dentro da nossa sociedade! Cita também alguns outros exemplos para tentar nos mostrar as dificuldades de ser invisível quando todos buscam por visibilidade. Um livro crítico, que pretende resgatar os homens pensantes, a evolução da nossa espécie e não uma regressão!

Ao final da leitura você se sente um tanto quanto confuso em relação as coisas de um modo geral, incerto quanto aquilo em que acredita!

A diagramação do livro está impecável! Um livro super fácil e agradável de ler... Como o próprio autor deixou bem claro, ele não usa uma linguagem rebuscada, chegando até a utilizar algumas palavras que estamos acostumados a ouvir, no entanto não vemos com tanta frequência nos livros! 

Recomendo a todos a leitura de "A arte da invisibilidade". Ele nos faz pensar um pouco mais sobre a nossa própria existência.

0 comentários:

Postar um comentário