Resenha: O Cortiço - Aluísio Azevedo

Oii seguidores! Depois de algum tempo sem resenhas aqui no blog, estamos voltando com a resenha de um clássico da literatura: O Cortiço, de Aluísio Azevedo.


Publicado em 1890, O Cortiço é a síntese do Naturalismo brasileiro, sua melhor e mais acabada expressão. Constituindo-se em um dos melhores retratos do Brasil do fim do Segundo Império, a obra recria a realidade dos agrupamentos humanos sujeitos à influência da raça, do meio e do momento histórico. O predomínio dos instintos no comportamento do indivíduo, a força da sensualidade da mulher mestiça, o meio como fator determinante do comportamento são algumas das teses naturalistas defendidas pelo autor ao lado de fortes denúncias sociais. O protagonista do romance é o próprio cortiço, onde se acotovelam lavadeiras, trabalhadores de pedreira, malandros e viúvas pobres. 


Título: O Cortiço
Autor: Aluísio Azevedo
Número de páginas: 220
Avaliação: ♥♥♥♥


Aluísio Azevedo publica em 1890 esse livro atemporal que consegue retratar com tanta fidelidade a situação da nossa sociedade ainda hoje, mais de um século depois. 

O livro conta a história do surgimento do Cortiço, criado por João Romão, um português ambicioso que não desiste daquilo que quer. João Romão começou sua vida no Brasil ao lado Bertoleza, uma mulata escrava que, juntando com ele suas economias, conseguem crescer com sua venda até se tornarem donos do Cortiço.

Mudou-se para o lado da venda de João um outro português chamado Miranda. João Romão, vendo a prosperidade de seu vizinho começa a nutrir um sentimento de inveja por ele. O mesmo acontece com Miranda ao ver como a situação do dono do Cortiço está evoluindo.

O foco da história, no entanto, é o próprio Cortiço e a vida das pessoas que lá habitam. As lavadeiras, cavouqueiros e mineradores. Todos vivendo na mesma condição precária, mas ainda assim felizes, com festas e músicas aos domingos.

Ficamos conhecendo vários moradores e sua história durante o decorrer do livro. Conhecemos Jerônimo que se muda pra lá junto com sua esposa Piedade para trabalhar na pedreira; Rita Baiana, uma brasileira animada e festiva; Marciana e sua filha; Machona; Albino; Pombinha e sua mãe; entre outros...

Aluísio consegue mostrar a vida dessas pessoas e como são os costumes da época. Mostra também a infidelidades no casamento, a ambição por poder, a inveja, ciúmes e tudo que ainda hoje hoje conseguimos perceber na nossa sociedade.

Um livro muito bom. Por ser um livro antigo possui um vocabulário um pouco complicado. Mas ainda assim, é um livro que eu recomendo. Ainda mais para os amantes da literatura nacional...

2 comentários:

  1. Oiie Bem?
    Nossa da pra ver que você é apaixonada por literatura nacional hein?
    Ja li este livro para a escola e não gostei muito =]
    ótima Resenah xD
    Beijos
    Carol..
    Visite:
    http://clubedelivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá eu tô lendo este livro e estou gostando bastante. Adorei sua resenha. Mas eu acho a história um pouco confusa. E eu queria fazer algumas perguntas.
    1-Porque os urbanos,ou seja a policia, acabam invadindo o cortiço de João Romão? Quais os resultados dessa invasão?
    2-De que maneira a morte de Libório ajuda João Romão?
    3-Qual a razão para Jerônimo ir para o cortiço? De que maneira essa intenção inicial acaba se modificando?
    4-Um dos efeitos provocados pela miséria em O Cortiço é a presença de doenças. Identifique uma dessas doenças e transcreva uma passagem onde ela esteja presente.
    5-"Zoomorfisação" é o nome que se dá à transformações de personagens humanos em animais. No caso de O Cortiço, isso ocorre em diversas ocasiões. Comente uma delas:
    6- Ocorrem dois confrontos físicos entre Firmo e Jerônimo (em um deles Jerônimo tem uma participação mais intelectual). Qual a causa desses confrontos? Como termina cada um deles?
    7-Qual é o interesse de Pombinha pela filha de Piedade, Senhorinha,indicando nesse interesse um processo de similaridade dos personagens?
    8- Dois espaços se opõem: o cortiço e o sobrado. Transcreva abaixo duas passagens que explicitem essa oposição, explicando quais as características que podem ser consideradas opostas?
    9- De que modo escrever cartas para os habitantes do cortiço atinge a personagem Pombinha?
    10- Durante a história ocorre um incêndio. Qual a sua causa? De que modo esse incêndio auxilia João Romão?
    11- Henrique é um personagem que exemplifica bem o papel que o sexo desempenha no livro. De que modo isso ocorre?

    Desculpe o número de perguntas. É porque eu vou fazer um trabalho sobre o livro e fiquei com algumas dúvidas. Por isso eu estou lendo novamente pra ver se fixa bem a história. Você pode me ajudar respondendo estas perguntas ? Agradeceria muito.

    ResponderExcluir